Procon: Variação de preço do material escolar pode chegar a 900% em Ituiutaba
Ascom/Reprodução

A Procuradoria de Defesa do Consumidor (Procon) de Ituiutaba disponibilizou nesta segunda-feira (13), pesquisa realizada entre os dias 6 e 10 de janeiro, com 50 itens da lista de material escolar mais comum e consumida por pais e alunos neste período que antecede o início do ano letivo. A variação em relação aos seis principais produtos vai de 158,82% a 900,00%, levando-se em conta que o critério utilizado é o menor preço encontrado e não a marca.

O apontador plástico foi o campeão na lista de variação de preço, com menor valor registrado em R$ 0,30 e o maior R$ 3,00, diferença de 900,00%. Depois vieram o pacote de palito de picolé com 100 unidades, com variação de preços entre R$ 2,85 e R$ 10,00 (250,88%). O esquadro plástico 21×45 cm foi encontrado em uma loja por R$ 1,20 e em outra por R$ 3,50 (191,67%). A massa para modelar com seis cores teve o menor valor encontrado a R$ 1,79 e o maior a R$4,80 (168,16%). O apontador com coletor foi encontrado no menor valor de R$ 0,98 e maior R$ 2,50, variação de R$ 155,10%. A cola em bastão, tamanho grande, foi encontrada entre R$ 1,70 e R$4,40 (158, 82%).

O Procon recomenda aos consumidores que, antes de ir às compras, verifiquem quais dos produtos da lista de material já possui em casa, se estão em condição de uso, evitando assim compras desnecessárias. Outra dica é promover a troca de livros didáticos entre estudantes, o que também garante economia. A lista de todos os itens pesquisados está publicada e à disposição dos consumidores na página https://www.facebook.com/Procon-Ituiutaba-1873374962726473/

Para dúvidas, reclamações ou denúncias, o PROCON de Ituiutaba está situado na Rua 26 entre 15 e 13, número 820, Centro, e o telefone é   (34) 3271-8139.

Fonte: Ascom

Leia também
Economia

Auxílio Emergencial: saques e transferências são liberados para mais 3,6 milhões nesta terça

Também nesta terça, Caixa paga primeira parcela do Auxílio Emergencial de R$ 300 para 1,6 milhão de beneficiários …

Há 1 semana atrás - 35
Economia

4 em cada 10 empresas ainda tiveram impacto negativo da pandemia na 1ª quinzena de agosto, diz IBGE

Construção e comércio foram os segmentos com maior impacto negativo. A crise provocada pela pandemia do novo coronavírus …

Há 2 semanas atrás - 73
Economia

Arroz chega a custar R$ 40, e setor diz que preço deve continuar em alta

Essencial na mesa da família brasileira, o preço do arroz disparou nos supermercados brasileiros, sobretudo nas últimas semanas. …

Há 3 semanas atrás - 134